A história da Osteopatia

ANDREW TAYLOR STILL

ANDREW TAYLOR STILL – O PAI DA OSTEOPATIA

A Osteopatia foi desenvolvida e fundada pelo médico, cirurgião, norte-americano Andrew Taylor Still em 1974.

O pai de Still era médico assim como várias pessoas da sua família, o que alimentou o seu interesse pela saúde e pela medicina.

Já no início da sua adolescência, Andrew Taylor Still interessava-se por anatomia e começou a dissecar os animais que caçava.

Andrew Taylor Still serviu no exército durante a Guerra Civil Americana onde usava o seu conhecimento médico e habilidades para ajudar os feridos, o que elevou o seu conhecimento de anatomia humana.

Depois da guerra, Still enfrentou uma grande crise pessoal quando a sua primeira mulher Mary Vaughan morreu devido a complicações no parto, e uns anos depois, perdeu dois filhos biológicos e um filho adotivo com meningite. Estes trágicos acontecimentos e a impotência que sentiu, mesmo sendo médico, para salvar a sua família, o que fez como que começasse a rejeitar o que tinha aprendido sobre medicina e foi em busca de novos e melhores métodos de tratamento.

AS BASES DA OSTEOPATIA

Os estudos de Still baseavam-se primariamente no estudo profundo de anatomia, e nas relações estruturais e funcionais, dos ossos, nervos, músculos e órgãos. Concluindo que o corpo apesar de complexo é uma única unidade, onde todas as estruturas desempenham o seu papel, todas as funções e estruturas estão interligadas, se uma está mal, outras serão afetadas por isso, originando uma cascata de problemas funcionais.

E entendeu que grande parte das doenças surgiam como consequência de um sistema musculoesquelético desordenado.

O sistema musculosquelético é o que sustenta o corpo e quando existem desvios, tensões e compressões, uma das consequências é que o fluxo de sangue não circula de forma livre, tornando zonas como membros, órgãos, músculos, etc., pouco irrigadas. O sangue é o que leva os nutrientes e oxigénio a todas as células do corpo, portanto se existe uma parte do corpo pouco irrigada durante semanas, meses e às vezes durante anos, irá certamente haver consequências, surgir dor e doença.

Estes desvios musculoesqueléticos provocam também a compressão dos nervos. Os nervos são a comunicação entre o cérebro e o resto do corpo, os nervos indicam e regulam todas as funções de cada parte do nosso corpo, seja órgãos, membros, pele, etc., tudo é comandado pelo cérebro através dos nervos, portanto quando existe algum nervo que por estar comprimido não consegue fazer o seu trabalho de forma eficaz, surgem também consequências como disfunções, dor e doença.

Andrew Taylor Still desenvolveu também o conceito de imunidade natural do corpo, que nada tem de isotérico ou mágico, é tão simples quanto isto: se as estruturas e órgãos fizerem a sua função de forma correta, se o sangue fluir normalmente e os nervos passarem corretamente a informação entre o cérebro e o resto do corpo então o corpo tem a capacidade de se autocurar através de processos internos.

Com estas descobertas Still entendeu que várias doenças poderiam ser evitadas ou aliviadas sem medicação, através da correção de desvios anatómicos que interferiam no fluxo livre de sangue e no sistema nervoso.

Still foi dos primeiros médicos a promover o conceito de medicina preventiva, e a filosofia de que os médicos deveriam concentrar-se mais na prevenção e tratamento da doença olhando para o corpo como um todo, e não apenas para os sintomas isolados.

Por ser uma medicina baseada em prevenção e em tratamento maioritariamente sem medicação, Still encontrou uma forte oposição às suas teorias e técnicas, tanto da comunidade médica, farmacêutica, universidades como da igreja.

Depois de várias portas fechadas e várias tentativas para implementar a Osteopatia sem sucesso, foi na cidade de Kirksville no Missouri, EUA, que Andrew Still começou a ter aceitação suficiente para abrir o seu primeiro consultório.

Gradualmente Still e a Osteopatia foram ganhando fama, até que chegou ao ponto de já não conseguir atender mais pacientes, que acabou por fundar a Escola Americana de Osteopatia, que se tornou um enorme sucesso e que ainda hoje existe. https://www.atsu.edu/

E Kirksville passou a receber cerca de 400 pessoas por dia para serem tratadas por osteopatas.

Andrew Still durante a sua vida publicou quatro livros:

  • Autobiography of Andrew Taylor Still with a History of the Discovery and Development of the Science of Osteopathy,
  • Philosophy of Osteopathy
  • The Philosophy and Mechanical Principles of Osteopathy,
  • Osteopathy Research and Practice
 
 

OS QUATRO PRINCÍPIOS BÁSICOS DA OSTEOPATIA

Em resumo os quatro princípios básicos desenvolvidos pelo médico americano Andrew Taylor Still há mais de 120 anos ainda são válidos hoje em todas as áreas da osteopatia.

1.O corpo é uma unidade

Em osteopatia, não é a doença/sintoma que é tratado, mas sim o ser humano como um todo. O homem é formado por uma unidade global, o corpo e a mente. O osteopata, portanto, considera não apenas o corpo, mas também o ambiente do paciente com todas as interações possíveis. Incorporando na sua terapia aspetos psicoemocionais, bem como a condição física, nutrição, exercícios e relaxamento. Apenas a interação perfeita de todos os tecidos permite uma função equilibrada.

2. A Auto-cura

O corpo consegue curar-se a si próprio quando restaura o seu equilíbrio, porque tem mecanismos de autorregulação e imunidade. O objetivo de um tratamento osteopático é estimular e apoiar a capacidade de Auto cura do corpo para que o corpo recupere o seu equilíbrio interno, supere a dor e recupere ou evite a doença.

Enquanto o corpo estiver bem e equilibrado, a sua capacidade de Auto cura funciona. No entanto, quando ocorrem distúrbios do equilíbrio, como desequilíbrios nos tecidos, mal posicionamento dos ossos, congestão de líquidos, desnutrição e desintoxicação insuficiente das células, o corpo torna-se incapaz de ativar a sua Auto Cura. O resultado é o mau funcionamento que leva à dor e à doença.

3. A estrutura governa a função

O corpo consiste em estruturas de tecido cuja forma e função estão intrinsecamente ligadas. Quando a estrutura do corpo é restrita ou deslocada, a função do corpo também se altera. O osteopata liberta as restrições de movimento com as mãos e, assim, ajuda o corpo a corrigir disfunções. A função pode normalizar, recuperar o equilíbrio e os sintomas desaparecem.

4. A lei da artéria

Qualquer tipo de tecido só pode funcionar bem se estiver bem irrigado. O que Significa que um bom fluxo de sangue, livre de bloqueios, que impeçam a sua normal circulação, mantém os tecidos em harmonia, e a sua normal e saudável função. Se o sangue não circular de forma fluída e sem obstruções, os nutrientes e o oxigénio não chegam em quantidade suficiente às células, e as células são a unidade fundamental do ser humano e de todos os seres vivos.

Se gostou do artigo pode partilhar com alguém que precise saber a história da Osteopatia e como funciona, pode também partilhar nas suas redes sociais.

Qualquer esclarecimento que precise, pode contactar-me pelas redes sociais, por whatsapp, telefone, mensagem escrita, email ou carregando no botão em baixo.

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on linkedin

Cláudio Miguel Pestana

O meu nome é Cláudio Miguel Pestana, sou Osteopata Certificado (cédula C-0031181). 

A Osteopatia é para mim muito mais do que uma Profissão, é realmente o que me faz feliz e completa, ter a honra de poder tratar pessoas, promovendo uma vida mais saudável e sem dor, é uma sensação incrivelmente gratificante. Não me imagino a fazer outra coisa, e sou grato todos os dias por poder exercer esta prática. 

A Osteopatia não é uma medicina estática, e por isso estou em constante adaptação, atualização e evolução, aperfeiçoando os meus conhecimentos para prestar o melhor e mais completo tratamento a cada cliente. Desta forma tenho realizado vários cursos complementares, para especializar-me cada vez mais em áreas como a Osteopatia Desportiva,  Osteopatia Pediátrica e Osteopatia Obstétrica.